27 de out de 2010

A Necessidade do Retratamento Endodôntico

Dando sequência ao texto anterior sobre retratamento, colocarei aqui um pouco da minha experiência na área de endodontia.
No consultório recebemos muitos pacientes com necessidade de retratar o(s) canal (is) de um dente, o que é uma pena, pois um tratamento realizado corretamente nunca precisa ser refeito.
Como em alguns casos não existe dor, muitos pacientes questionam a necessidade do retratamento. Mas o questionamento não para por aí, e se estende desde à competência do profissional que realizou o serviço ao valor pago e perdido no primeiro tratamento. Afinal, refazer é sempre mais complicado para o dentista e mais dispendioso para o paciente, e o fato do trabalho já ter sido realizado (e pago!), apesar de com outro profissional, é desagradável.
O tratamento endodôntico é composto de várias etapas (as quais realizamos em um dia, na maioria dos casos):
- limpeza química e mecânica dos canais;
- alargamento dos canais;
- obturação (vedamento) dos canais.
Todas as etapas têm que ser realizadas com perfeição ou, no futuro, podemos ter problemas no sucesso do tratamento. E é indispensável o uso do isolamento absoluto (aquele lençol de borracha que evita a contaminação do dente com saliva durante o tratamento).
Uma vez detectada a necessidade de retratamento endodôntico, antes dessas etapas é preciso desobturar os canais, com muita segurança e cuidado, para não perfurar as raízes. São marcadas mais consultas, não devendo ser tudo realizado de uma vez só.
Finalizado com eficiência o retratamento e a reconstrução da parte coronária, devolvemos ao dente sua função correta na mastigação e recuperamos também a estética. Mas, como vimos, não é simples. Logo, procure sempre um especialista!

Dra. Tatiana Murteira E. S. Tonelli
Endodontista
CRORJ 27994