25 de fev de 2010

Primeiras Palavras

Raquel Moreira Guimarães
Ortodontista - CRORJ 27986

Bom, já pensei durante horas. Tenho que escrever alguma coisa. A dúvida é básica, inicial mesmo. Faço dois blogs, um pessoal e outro profissional? Não, não. Um já tá difícil. Misturar não é o problema, minha vida é assim. E o título? Raquel Guimarães? Raquelorto? Mas a Oral não é só eu. Oral? Oralodontologia?

Tá, depois eu resolvo, vou escrever um pouco sobre algo que nunca tive dúvidas: Odontologia! É bem simples. Digo que nasci dentista, pois desde pequena já sabia o que queria, sem pais nem parentes dentistas.


E agora vou pular alguns anos, anos que meus pais e meus padrinhos se sacrificaram para eu estudar em boas escolas. O mínimo que eu poderia fazer é ser grata e me dedicar. Foi o que fiz. Faço até hoje.


E lá estava eu, 18 anos, perdida em um mundo chamado UFRJ. Para quem cresceu em Niterói e não andava solta por aí, é muita diferença. Estudar em uma Universidade Federal, em tempo integral e longe de casa não foi fácil. E não estou falando só do curso, do estudo. Ônibus lotado e em pé todos os dias, ponte Rio-Niterói P-A-R-A-D-A. Esta lembrança me dá arrepios. E os gastos são muitos: passagem, alimentação, livros, xérox... Material odontológico é muuuuuito caro! E pesado para carregar.


Mas, como dizem, eu era feliz e não sabia!


Foi lá que a Oral começou. Digo isso porque nesta época conheci meus queridos amigos Tati (Tatiana Murteira) e Niterói (Rodrigo Coimbra). Ela, minha colega de turma. Ele, um veterano obcecado por cirurgia. Mas só nos tornamos amigos mais tarde, já formados, quando nos reencontramos. O respeito profissional já existia, pois já éramos talentosos na faculdade. Hoje, Tati é uma excelente endodontista e, Rodrigo, tomou conta das cirurgias e das reabilitações, incluindo implantes. Eu me especializei em Ortodontia. Uma vez levei meu pai à Macaé para realizar um tratamento endodôntico com a Tati, pois nesta época ela só trabalhava lá. E hoje ele está entregue à reabilitação com o Rodrigo.

Ah! Não posso esquecer de apresentar toda a equipe, que é brilhante: Eliza (ACD), Renata Marinho (ortodontista e radiologista), André Temperini (periodontista), Isabela Marinho (endodontista), Adelany (odontopediatra), Paula Tepedino (estética), Corina (fonoaudióloga) e Adriana (psicóloga). Confio meus amigos e minha família a eles, afinal, são competentes e trabalham com amor. Todos escreverão um pouquinho neste blog.

Lá na Oral é assim, nossos pacientes são nossos amigos. Claro que há pessoas que preferem algo mais formal. Quem se identifica, fica. Certa vez fizemos uma reunião: tínhamos que ser mais profissionais, mais sérios, parar de ficar batendo papo com os pacientes na recepção, parar de abraçá-los e beijá-los, de rir... Mas não conseguimos mudar. Sempre que possível, vamos aos aniversários, casamentos, trocamos receitas, conversamos, rimos e choramos com eles.

Logo que me formei ouvi um sermão de uma dentista mais experiente. Como fiquei triste! Foi mais ou menos assim : "VOCÊ NÃO TEM POSTURA! CONVERSA MUITO COM O PACIENTE. TEM QUE SER MAIS FRIA, FALAR MENOS!". Oito anos depois estou aqui, igualzinha, e sei que chorei a toa.

E voltando ao presente, queremos colocar umas estórias legais aqui, casos clínicos interessantes... será que dá para postar mais de uma foto por texto?

Vou descobrir isso agora....