31 de mai de 2010

Apinhamento Tardio dos Incisivos Inferiores


A seguinte frase é muito comum: "Se você não extrair os sisos, eles irão entortar (apinhar) os outros dentes!", principalmente depois de um tratamento ortodôntico.


O apinhamento tardio dos incisivos inferiores pode ocorrer entre os 17 e os 30 anos e acontece também em indivíduos que possuem ausência congênita dos terceiros molares (sisos).


Os sisos acabam levando a culpa pois o apinhamento normalmente coincide com a época da erupção desses dentes. Como dentes em erupção provocam pressão, parece bastante óbvio, até para os dentistas, que esta é a causa do apinhamento tardio dos incisivos.


Mas se não há força de eupção capaz de causar este apinhamento, o que realmente acontece?


No final da adolescência, a mandíbula (maxilar inferior) tem um crescimento tardio, que não é acompanhado pelo crescimento maxilar superior. Assim, os dentes se movimentam para compensar esta diferença. O mais comum é os dentes incisivos inferiores inclinarem para trás, apinhando.


Outras duas reações (menos comuns) ao crescimento tardio da mandíbula podem acontecer: (1) os incisivos inferiores não mudam de posição e empurram os incisivos superiores para frente, abrindo um diastema (espaço) entre os dentes superiores, no centro da dentição superior ou (2) uma forte oclusão anterior dos dentes superiores com os inferiores empurram a mandíbula para trás, causando uma disfunção na articulação temporomandibular (articulação da mandíbula com a base do crânio), deslocando o disco articular e ocasionando dor e disfunção.


Até na presença de mordida aberta anterior (quando os dentes anteriores superiores e inferiores nunca se tocam) o apinhamento tardio dos incisivos pode acontecer. Neste caso, a pressão do lábio ajuda a empurrar os incisivos para trás quando a mandíbula cresce.


Na maioria das pessoas os terceiros molares estão impactados porque não há espaço para sua erupção. Nesta condição, podem dificultar o deslocamento dos outros dentes para trás durante o crescimento mandibular remanescente e talvez determinem o grau de apinhamento que ocorrerá (maior ou menor), mas nunca são a causa dele.


Assim, os sisos inferiores seriam "o último elo" numa cadeia de eventos que leva ao apinhamento tardio dos incisivos. Como também ocorre em pessoas que não têm sisos, a presença deles não é importante como é a quantidade crescimento mandibular remanescente.
Raquel Moreira Guimarães
Ortodontista - CRORJ 27986





20 de mai de 2010

Clareamento Dental

A auto estima é um fator relevante no convívio social. Muitas pessoas deixam de sorrir devido à uma estética dental prejudicada. Nos casos onde o fator primordial deste comportamento é a alteração da cor, o clareamanto dental pode ser a solução.
A alteração de cor pode ser devido à fatores externos e internos, localizada em um ou mais dentes, ou em todos. A mancha extrínseca fica na região mais externa do esmalte e pode ser causada por pigmentos dos alimentos (café, chá, refrigerantes, corantes de biscoitos, etc) e tabaco. Quando está no íntimo da estrutura dental é devido ao traumatismo, tetraciclina (ingerida durante a calcificação do esmalte), necrose pulpar, excesso de material obturador de canal, etc.
Há três tipos de clareamento: o clareamanto vital feito em consultório, o clareamento vital feito com moldeiras personalizadas e o clareamento não vital ( de dentes com canal tratado). Em nosso site há maiores detalhes das técnicas: http://www.oralodontologia.com.br/

O clareamento feito no consultório e o caseiro supervisionado pelo dentista, sem exageros, não traz danos aos dentes, às mucosas e à saúde em geral. O pigmento é quebrado em uma reação de combustão e sua estrutura é muito semelhante ao esmalte dental, assim, feito sem limites, leva à quebra química da estrutura do esmalte, causando danos irreversíveis.

Seu resultado é comprovado e a estabilidade tem média de dois anos. A manutenção deve ser feita pelo dentista e o paciente deve seguir as restrições de alimentação durante o tratamento.
Como o gel clareador não tem efeito sobre as restaurações e próteses, estas devem ser trocadas a partir de 10 dias após o término do clareamento, quando ocorre a estabilidade da cor.

Atualmente o clareamento dentário é o tratamento mais procurado nas clínicas odontológicas. Não podemos mais negar que a estética faz parte do nosso dia-a-dia, tanto na área pessoal como na profissional. Afinal, quem não quer um sorriso lindo, mais branco e brilhante?


Dra. Paula Alves Tepedino
Especialista em Estética
CRORJ 30715


Nosso consultório de clareamento dental em Icaraí fica na Oral Odontologia. Acesse http://www.oralodontologia.com.br/ e agende uma consulta.






14 de mai de 2010

Excelência no Atendimento



Quando fizemos nosso site, muitos pacientes colaboraram com seus depoimentos. Para aqueles que leram, como para nós da Oral, uma "surpresa" muito agradável aconteceu: o nome da Eliza, nossa querida secretária, foi citado em quase todos os depoimentos. Agradecemos à todos que escreveram e ficamos muito felizes por ter, além do nosso trabalho reconhecido, o carinho e a amizade de vocês.

Mas o que pensa Eliza? O que a faz ser tão atenciosa com todos? Só perguntando para ela...

"É primordial, logo no primeiro contato, que o paciente sinta-se bem à vontade no consultório para que ele tenha vontade de voltar e começar um tratamento. O bem tratar às pessoas faz bem para ambas as partes. Nós, da recepção, temos o compromisso de receber todos com atenção, dedicação e carinho.

Algumas pessoas que procuram um consultório odontológico chegam aqui necessitando de ajuda e atenção. Qualquer pessoa bem tratada, em qualquer lugar, volta e indica você para amigos, parentes, etc.
A cortesia e a maneira discreta de falar são muito importantes. Não devemos fazer perguntas indiscretas, que deixem as pessoas constrangidas.

Tratar as pessoas com respeito é algo que eleva e dignifica o nosso trabalho.

O resultado é esse, e esta é a minha maior recompensa: a satisfação de todos ao meu redor.

Muito obrigada."

Maria Eliza Quadros Romão
ACD RJ 11997



4 de mai de 2010

Implantes: Carga Imediata


O protocolo inicialmente proposto por Branemark preconizava que, após a instalação do implante, seria preciso aguardar um período de três a seis meses para que ocorresse a osseointegração.
Porém, atualmente, com a exigência estética cada vez maior por parte dos pacientes, se faz necessário o desenvolvimento de técnicas que adequem essa exigência ao bom andamento e sucesso do tratamento. Com isso surgiu a técnica da carga imediata.
Essa técnica consiste em instalar uma prótese, seja unitária, seja múltipla, no mesmo momento do ato cirúrgico de colocação do implante, ou seja, quando ainda não ocorreu o processo da osseointegração.
Para que essa técnica seja empregada é preciso que o paciente passe por um exame minucioso que irá avaliar sua condição de saúde geral como também a qualidade e quantidade óssea disponível para a instalação dos implantes.
Além dos fatores relacionados ao paciente, alguns fatores técnicos são fundamentais para o sucesso do tratamento com carga imediata, entre os quais podemos citar a estabilidade primária dos implantes que devem apresentar torque superior a 40N (medida da "pressão" conseguida na instalação do implante).
Este assunto é bem atual e tem sido rotina, tanto dentro quanto fora do consultório. Estou à disposição para conversamos mais sobre ele, inclusive pessoalmente, e esclarecer dúvidas. Todas as formas de contato estão em nosso site, acesse!
Rodrigo Coimbra de Almeida
Reabilitação Oral - CRORJ 25939