8 de dez de 2010

A Fase do Patinho Feio

Como ortodontista, recebo pais preocupados com o posicionamento dentário de suas crianças na época da troca da dentição decídua (de leite) para a permanente. Uma das preocupações mais comuns é com o diastema (espaço) existente entre os incisivos centrais permanentes superiores, prejudicando a estética facial.
Apesar deste diastema ser normal até a erupção dos caninos superiores, já vi muitas crianças usando aparelhos ortodônticos para fechá-lo. E isto me assusta! Os pais, que são leigos, desejarem fechar o espaço, tudo bem. Mas o profissional? Não!!!
Este diastema, presente por volta dos 8 aos 11 anos, é esperado e geralmente fecha completamente após a erupção dos caninos permanentes superiores. A tentativa de fechá-lo ortodônticamente geralmente é desastrosa, pois, nesta fase da dentição mista, os caninos permanentes ainda não erupcionados estão em íntimo contato com as raízes dos incisivos laterais permanentes (como observado na radiografia). Assim, o movimento de fechamento do diastema joga as raízes dos incisivos centrais em direção aos laterais e, as raízes dos laterais, em direção aos caninos. E os caninos podem ficar sem espaço para erupção. A partir de então teremos um problemas ortodôntico verdadeiro: impacção dos caninos permanentes (eles ficam retidos dentro do osso, não erupcionam).
Nesta hora, que os pais estão impacientes com o diastema, o melhor tratamento é uma boa conversa, mostrando tudo o que foi falado acima. Não é à toa que esta fase é chamada de "fase do patinho feio": um diastema mediano considerável entre os incisivos centrais permanentes superiores, que parecem enormes e desproporcionais para a criança (pois já erupcionam com seu tamanho definitivo do adulto) que ainda está em crescimento.

Dra. Raquel Moreira Guimarães
Ortodontista - CRORJ 27986

http://www.oralodontologia.com.br/